Artigos

COMIDA DE ESTÁDIO: REFLEXÕES SOBRE O “TROPEIRÃO” E A SOCIABILIDADE NO “NOVO MINEIRÃO”

Leonardo Turchi Pacheco, Marina de Mattos Dantas, Adriano Lopes de Souza, Silvio Ricardo da Silva

O presente artigo analisa as mudanças na alimentação e nas formas de sociabilidade no “novo” Estádio Mineirão pela perspectiva de 266 torcedores do Clube Atlético Mineiro. Ademais, apresenta uma breve análise do perfil do público que frequentou o Estádio do Mineirão entre 2013 e 2015, fruto de pesquisa de campo na qual foram aplicados questionários e feitas observações no ambiente das arquibancadas. Verificou-se, na fala torcedora, incômodos com as alterações na alimentação e nas experiências que compunham a totalidade do espetáculo. Quanto ao perfil dos torcedores, observou-se o alto grau de escolaridade e empregabilidade, além de residirem em locais com elevado Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). Esse cenário trouxe consigo novas percepções sobre aparência do equipamento urbano e higiene alimentar, evidenciando um espaço de disputas pela alimentação dentro e fora do estádio e outras mudanças na sociabilidade torcedora.

Do amadorismo profissional ao profissionalismo amador: os discursos da imprensa sobre a profissionalização do futebol na cidade de Belo Horizonte

Sarah Teixeira Soutto Mayor, Sílvio Ricardo da Silva

O presente artigo tem como objetivo analisar os discursos produzidos pela imprensa belo-horizontina sobre a profissionalização do futebol, especificamente em relação às tensões observadas entre a modernização almejada com o novo regime e as reais possibilidades do cenário local. Como metodologia, foram analisadas reportagens de jornais e revistas produzidas na capital mineira e em outras localidades, como Rio de Janeiro e Buenos Aires, devido à percepção da circulação de discursos comuns e da influência do cenário futebolístico dessas cidades. A análise das fontes evidencia uma convivência ambígua entre os discursos veiculados, que ora invocavam os supostos avanços do profissionalismo em contraposição à defasagem do amadorismo, ora condenavam o regime profissional em prol dos verdadeiros sentidos do esporte proporcionados pela prática amadora. Longe do apaziguamento que a palavra ‘transição’ pode supor, a mudança de regimes permaneceu durante a década de 1930 como protagonista de um cenário discursivo conflituoso.

Levantamento e análise da produção sobre futebol no Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer

Felipe Vinícius de Paula Abrantes, Silvio Ricardo da Silva, Alexandre Francisco Alves

Este trabalho é parte da pesquisa “Levantamento e análise do desenvolvimento da produção e do estudo sobre o futebol 1980 – 2016”[1] realizada pelo Grupo de Estudos sobre Futebol e Torcidas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O presente artigo se debruça sobre a produção das teses e dissertações sobre futebol defendidas no Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer (PPGIEL) da UFMG. Os dados utilizados foram coletados no banco de teses e dissertações da CAPES e tratados estatisticamente no SPSS. Para análise qualitativa dos trabalhos, os resumos foram acessados e, quando necessário, o próprio texto completo. Apresentamos aqui as características dos estudos, como: recorrência dos estudos sobre futebol no programa; baixa presença de pesquisadoras; diversidade de linhas de pesquisa em que os professores orientadores estão inseridos; importância do grupo de pesquisa que focaliza o futebol; maior presença de trabalhos que tematizam os estudos históricos e o futebol enquanto espetáculo esportivo, além da análise de cada trabalho realizado em dez anos de PPGIEL.

ÓBVIO ULULANTE: A TRAJETÓRIA DE UM PROGRAMA SOBRE FUTEBOL EM UMA RÁDIO UNIVERSITÁRIA

Marina de Mattos Dantas e Luiza Aguiar dos Anjos

Esse ensaio tem como objetivo analisar a trajetória de oito anos do Óbvio Ululante, programa sobre  futebol  veiculado  na  Rádio  UFMG  Educativa.  Apresentamos,  primeiramente,  nosso entendimento  acerca  dos  princípios  que  devem  nortear  a  atuação  de  uma  rádio  universitária, que balizam também a produção do programa em questão, seguidos de uma descrição sobre a presença  do  futebol  na  mídia  radiofônica.  Analisamos,  então,  a  experiência  do  Óbvio Ululante, dando ênfase àsmudanças, explicadas a partir das reflexões e posicionamentos que as  motivaram.  Destaca-se a maior atenção dada aos “infames do futebol”, aqueles clubes, grupos  e  agentes  do  futebol  com  menor  espaço  na  agenda  midiática  das  grandes  redes  de comunicação.

COPA DO MUNDO, MANIFESTAÇÕES E A OCUPAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO

Luiza Aguiar dos Anjos, Marina de Mattos Dantas, Thiago Jose Silva Santana

Desde o anúncio do Brasil como sede da Copa do Mundo da FIFA 2014, movimentos sociais se organizaram para denunciar e questionar decisões e arbitrariedades acerca de seus preparativos. Durante a Copa das Confederações de 2013, uma série de manifestações, marcada pela diversidade de seus participantes e de suas reivindicações, ficaram conhecidas como jornadas de junho. Esse artigo traz uma análise de tais acontecimentos focando em questões relativas à ocupação do espaço público, problematizando, ainda, a relação dos movimentos com a organização dos megaeventos esportivos a serem realizados em nosso país.

PERCEPÇÕES E MANIFESTAÇÕES DO TORCEDOR MINEIRO SOBRE O “NOVO MINEIRÃO”

Bruno Otavio de Lacerda Abrahão, Priscila Augusta Ferreira Campos, Marina de Mattos Dantas, Plínio de Almeida Júnior, Luiz Gustavo Braga Gomes, Tiago Felipe da Silva

Em 3 de fevereiro de 2013, após dois anos fechado devido às reformas para sediar a Copa do Mundo de 2014, o jogo entre Cruzeiro e Atlético, marcou a reabertura do Mineirão e uma nova forma de pensar o futebol mineiro. Assim, esse artigo tem por objetivo analisar as percepções e manifestações do torcedor mineiro, no jogo da reinauguração, frente às mudanças ocorridas no estádio. Para isso, aplicou-se 55 questionários e realizou-se observação participante. Percebe-se que muitos pesquisados concordaram com a reforma e consideraram-na boa. Alguns têm dúvida se o novo ethos se constituirá, pois embora achem o ser humano moldável, acreditam que romper com hábitos arraigados é muito difícil. Isso pôde ser visto nas manifestações dos torcedores durante o jogo, onde em relação ao torcer antigas práticas foram mantidas.

PESQUISADORAS DO FUTEBOL: DISCUSSÕES A PARTIR DE DUAS TRAJETÓRIAS

O artigo se propõe a apresentar elaborações inicias sobre a presença das mulheres no universo das pesquisas sobre futebol, principalmente em relação àquelas que não pesquisam temáticas relacionadas às discussões sobre gênero como elemento central em seus trabalhos, destacando nesse processo a relação entre mulheres e o meio acadêmico. Para tal, discutimos a presença das mulheres na universidade e nos estudos sobre futebol, e realizamos entrevistas com duas mulheres pesquisadoras, buscando compreender algumas relações entre as mulheres, o futebol e a pesquisa. Embora os estudos sobre gênero venham crescendo nos últimos anos, levantamos alguns indícios de que a maioria das mulheres que estudam futebol no Brasil estão envolvidas com estudos que, não necessariamente, envolvem essa discussão e também discutem questões relacionadas ao futebol jogado por homens sem que o tema das masculinidades e feminilidades se torne central. Nas trajetórias de nossas entrevistadas, encontramos aproximações com a temática de gênero, além de processos de estranhamento e desconfiança por serem mulheres.

UMA COBERTURA ALÉM DO CAMPO DE JOGO: O PÚBLICO E A RENDA COMO TEMAS DE INTERESSE DA MÍDIA NA COPA AMÉRICA DE 2019

Mauro Lúcio Maciel Júnior, Hélder Ferreira Isayama

Tendo em vista a repercussão gerada em torno do público e da renda das partidas da Copa América de 2019, o objetivo do presente artigo foi analisar a cobertura feita pela mídia acerca desse tema. Para tanto, foram analisadas 17 matérias veiculadas entre os dias 14 de junho e 07 de julho de 2019, pelo portal Globoesporte.com, a fim de compreender a forma como notícias específicas sobre essa temática foram pautadas por esse veículo de comunicação. Como resultados, foi possível perceber uma abordagem objetiva sobre o público e a renda dos jogos, com a presença de representações voltadas para o futebol como evento esportivo e sem a abertura de espaços para reflexões sobre a inserção desse esporte como um artefato cultural da sociedade brasileira. Tal constatação pode ser entendida como uma espécie de naturalização do futebol como um elemento de consumo, construída em um cenário político-econômico de expansão da hegemonia de pensamentos neoliberais, muitas das vezes aceitos e reproduzidos pela imprensa.

O LAZER NA ATUAÇÃO PROFISSIONAL DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM ESCOLINHAS DE FUTEBOL NA CIDADE DE BELO HORIZONTE

Mauro Lúcio Maciel Júnior, Hélder Ferreira Isayama

O objetivo foi entender se os profissionais que atuam em escolas de esporte acreditam que trabalham com o lazer, como relatam que esse trabalho acontece, quais conhecimentos sobre o lazer utilizam e como enxergam a importância do lazer em sua prática profissional. Para isso, desenvolvemos um trabalho de natureza qualitativa, cuja realização se deu através de uma combinação entre pesquisas bibliográfica e de campo. Na pesquisa de campo, realizamos entrevistas semiestruturadas com quatro profissionais que atuam em três diferentes escolinhas de futebol. Como resultados, destacamos que todos os profissionais relataram ter o lazer presente em seu trabalho e que a importância que eles dão ao lazer, parece ser influenciada pela natureza do ambiente no qual trabalham.

©2020 por GEFuT. Todos os direitos reservados